Contaminação dos tubos de resina composta utilizados na clínica odontológica

Rodrigo Queiroz Aleixo, Rahany Corrêa Queiroz, Vanessa Concolato Custódio, Jussiely Almeida de Moura

Resumo


O objetivo deste trabalho foi detectar a contaminação da parte externa dos tubos de resina composta. Foram utilizados 60 tubos de resina composta usados nas clínicas odontológicas da Faculdade São Lucas, Porto Velho-RO. Os tubos foram divididos em três grupos: em uso, armazenados e desinfetados com álcool a 70%. A contaminação da superfície dos tubos foi verificada por meio de coleta com swabs e incubação deste em caldo Brain Hearth Infusion (BHI) a 37ºC por 24 horas sendo, após esse período, semeado em placas de cultura com ágar-sangue que também foram incubadas por 24 horas a 37ºC. A contaminação foi verificada pela turvação no caldo e desenvolvimento de colônias de microrganismos nas placas. Foi observada intensa contaminação nos tubos armazenados e em uso, sugerindo a falta da desinfecção destes. Os tubos desinfetados com álcool 70% mostraram menor desenvolvimento microbiano. Os resultados sugerem a deficiência no processo de desinfecção dos tubos de resina, confirmando a necessidade da desinfecção desses materiais antes e após o uso, no intuito de diminuir a carga microbiana em sua superfície, diminuindo, assim, o risco de infecções.

Texto completo:

PDF