Avaliação do conhecimento dos pais e condição de saúde bucal de bebês de 3 a 36 meses

Liliane Dantas da Cruz, Sônia Maria Alves Novais, Sara Grinfeld, Janaína Pereira de Lucena Menezes

Resumo


O objetivo dessa pesquisa foi avaliar a condição de saúde bucal de crianças na faixa etária de 3 a 36 meses, que frequentavam a Clínica de Bebês da Universidade Federal de Sergipe e, concomitantemente, avaliar a percepção e conhecimento de pais ou responsáveis sobre os cuidados com a saúde bucal na primeira infância. A amostra foi composta por 140 pessoas, sendo 70 pais ou responsáveis e 70 bebês de ambos os gêneros. Como instrumentos de coleta de dados foram utilizados um prontuário específico para a criança e uma entrevista objetiva. Foram observadas prevalências de 24,2% de crianças com lesão de cárie (19,7% meninos) e 16,5% com fratura dentária (10% meninas). Das crianças com lesão cariosa e fratura dento-alveolar, 11% necessitaram de tratamento complexo. Quanto à percepção dos pais/responsáveis, foi detectado que a maioria deles demonstrou ter noção dos cuidados e práticas que devem ser realizados para manutenção da saúde bucal - 74% escovavam os dentes três vezes ao dia e 57% tinham o costume de ir ao dentista. Os resultados indicaram que ainda há uma alta prevalência da doença cárie na primeira infância (24,2%), no entanto, os pais/responsáveis estão mais conscientes da necessidade de que sejam implementadas medidas de higiene bucal o mais precoce possível.

Texto completo:

PDF