Fundamentos da análise facial para harmonização estética na odontologia brasileira

Rosenvaldo Moreira Junior, Paulo Domingos Ribeiro, Anthony Froy Benites Condezo, Marcelo Augusto Cini, Carlos Cesar De Antoni, Roosenvelt Moreira

Resumo


A aparência facial tem um papel importante na autoestima e a presença de alterações e/ou deformidades influencia negativamente o aspecto psicológico e social do paciente. Com os avanços tecnológicos e com uma população cada vez mais exigente, a alta qualidade da odontologia no Brasil permite que os odontólogos possam melhorar a harmonia estética da face, aplicando técnicas orofaciais que complementam um belo sorriso e melhoram a estética facial. O objetivo deste trabalho é apresentar uma breve revisão das análises faciais empregadas na odontologia, com padrões de referência baseados na literatura e propor uma ficha de coleta de dados sucinta, com uma sequência objetiva e esclarecedora para a análise facial. O cirurgião-dentista, tendo uma referência do padrão de normalidade do biotipo brasileiro, poderá diagnosticar uma desarmonia estética facial de origem esquelética, dentária ou a alteração anatômica, que poderá não ser corrigida com as terapias estéticas não cirúrgicas. Conclusão: Com o reconhecimento dos fundamentos da análise facial é possível considerar que o cirurgião-dentista possa reconhecer uma alteração (deformidade) que não será corrigida com as terapias estéticas não cirúrgicas. Desta forma, o profissional se sentirá mais seguro tanto para indicar procedimentos de harmonização facial não cirúrgicos, quanto para indicar correções cirúrgicas, melhorando o prognóstico e previsibilidade dos tratamentos. 


Texto completo:

PDF